segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Fluminense 3 x 1 Vasco. Esse sim é o FLUZÃO!

O quarteto fantástico tricolor destroçou o então invicto.

Durante os dias que antecederam a decisão eram unânimes os loas ao time do Vasco. Comentários e palpites emitidos através das rádios, TV’s ou jornais, tanto do Rio como de outros estados, consideravam o fato do Vasco ser campeão como líquido e certo.

Apregoavam o melhor entrosamento dos cruzmaltinos, a invencibilidade no campeonato, o longo jejum do Fluminense em clássicos regionais, etc., etc..

Os mais “eruditos” alardeavam a qualidade do meio campo vascaíno destacando a qualidade de Juninho, Diego e Felipe.

Esqueceram de que o Fluminense possui um dos melhores, senão o melhor meio de campo do Brasil.

Ainda bem que “toda a unanimidade é burra” como já dizia o grande Nelson e o resultado final comprovou mais uma vez a assertiva.

Na realidade, o Tricolor arrasou o Vasco e não fosse a afobação de Wellington Nem e Thiago Neves em pelo menos três oportunidades, o resultado final teria sido um verdadeiro massacre.

Com exceção dos primeiros minutos em que conseguiu manter certo equilíbrio e nos minutos finais após o gol de Eduardo Costa em que o desespero tomou conta dos jogadores do Vasco, a Torcida Tricolor pode saborear uma das decisões mais tranqüilas com um domínio quase total sobre o adversário.

Os únicos momentos inquietantes ficaram por conta das bolas alçadas na área e os erros de posicionamento da zaga, fato que o Abel deve procurar corrigir nos treinamentos que antecedem o jogo na Bombonera.

Liderada por um verdadeiro show de Deco, a equipe tricolor sobrou em campo. Wellington Nem infernizou e até mesmo o excelente Dedé não conseguiu barrar suas investidas.

Após o primeiro gol, conseguido através de uma penalidade máxima de Fagner em Wellington Nem e cobrada com perfeição pelo Fred, o Vasco sumiu em campo.

Apenas seis minutos depois, Deco ampliou com um gol antológico e o domínio foi total. Tivesse um pouco mais de calma na conclusão, Thiago Neves teria definido a vitória logo em seguida.

Para o segundo tempo, Abel substituiu Carlinhos por Thiago Carleto, que deu mais consistência ao setor esquerda da defesa.

Os que esperavam a reação do time do “vira-vira” assistiram o Fluminense ainda senhor da situação e que só precisou de mais doze minutos para liquidar a decisão com o terceiro gol, numa jogada mortal em que participaram Bruno, Deco e Thiago Neves até a conclusão certeira de Fred.

À medida que o tempo passava o desespera dos vascaínos aumentava. Nas arquibancadas, já ecoavam os gritos de “é campeão” e os torcedores adversários iam deixando e estádio faltando ainda mais de quinze minutos para o final do jogo.

Uma tarde de gala, outra epopéia tricolor.
Destaque para as atuações do quarteto ofensivo formado por Deco, Thiago Neves, Wellington Nem e Fred e também para Bruno e Diego Cavalieri, que quando acionado não cometeu falhas.

A boa atuação de Valencia, que não errou um passe sequer, deu mais firmeza a Diguinho, que também esteve bem e Carleto provou que merece mais chances.


 DETALHES:

VASCO 1 X 3 FLUMINENSE

Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)

Auxiliares: Rodrigo Pereira Joia, Rodrigo Figueiredo Henrique Correa

Gols: Fred, aos 36' e Deco, aos 41'do primeiro tempo;  Fred, aos 12’ e Eduardo Costa, aos 37’ do segundo.

Cartões amarelos: Wellington Nem e Deco

Fluminense: Diego Cavalieri, Bruno, Leandro Euzébio, Anderson e Carlinhos (Carleto - intervalo); Valencia, Diguinho, Deco e Thiago Neves; Wellington Nem (Jean 23'/2ºT) e Fred - Técnico: Abel Braga.

E DÁ-LHE FLUZÃO CAMPEÃO!

3 comentários:

Jean Aguiar disse...

O Flamengo precisa se ligar no serviço. Flor e Vice nos ultrapassaram na estatística da Taça Guanabara. Eles já possuem 20 títulos, JUNTOS, contra apenas 19 nossos. Agora eu fiquei realmente preocupado.

Marcio Cardoso disse...

Alô Hélio e Pedro,

grande alegria com a vitória do Fluminense. Estou aqui acomopanhando o nosso tricolor de longe mas é sempre boa uma vitória bonita e com a Taça Guananbara de volta às Laranjeiras.

Agora a espectativa
e com a Libertadores. Pra frente Flusão!

Abraços,

Marcio

Helio R.L. disse...

Caro Marcio,

Aos poucos o Abel vai sacando quem deve ser titular. A titularidade do Wellington Nem, há muito esperada, parece que agora é definitiva. A troca de Carlinhos por Carleto deve acontecer mais cedo ou mais tarde e aí ninguém mais vai segurar o Fluzão.

Contra o Vasco foi um passeio total e o resultado só não foi de 6 a 1 porque a turma se afobou.

Como o nosso blog é democrático, temos que aturar algumas malas recalcadas como a que comentou acima. Pena que ela não informou quantos títulos do urubu foram ganhos com a ajuda da máfia do apito.

Abraços e Saudações Tricolores.